As lingeries… O que seria de nós se elas não fossem inventadas?

E eu estava peruando pela Leader, quando me peguei na sessão de lingeries, gente eu sou apaixonadíssima por lingeries, de renda, sem renda, colorida, lisa, de bichinhos, de listrinhas, sexy, meiga, com bojo, resumindo amo todas sem descrição.

E foi nesse momento que me veio àquela perguntinha básica “como será que surgiram essas coisinhas mais fofas?” E então decidi pesquisar um pouco no meu grande amigo Google, rs’ e vim aqui compartilhar com vocês a minha super descoberta, tenho certeza que vocês vão adorar saber sobre esta história. 

2

Tudo começou por causa de uma Deusa por volta do segundo milênio antes de Cristo, onde as mulheres usavam um corpete super simples que sustentava a base do busto, projetando os seios nus (ousadas rs’)  

Foi na idade média que surgiram à cota, que era uma túnica com cordões, o Bliaud que era como se fosse um corpete só que amarrado nas laterais ou atrás que apertava o busto e era costurado a uma saia plissada, o sorquerie que também é conhecido como corpete que era uma cota muito justa, e o surcot que era um colete que era colocado por cima das roupas.

No século XV  as mulheres nobres usavam um largo cinto sob o busto que além de dar aquela sustentada ajudava naquele volume pra da uma turbinada, mas as roupas intimas só foram ficar mais rígidas durante os século XV ao XVI e também foi nesta mesma época que surgiu o corps pique que era um corpete que afinava a cintura, deixava os seios com efeito de cone  e ainda apertava o ventre, era feito com um haste e a meteria prima usada era madeira ou marfim (imagina que peso era isso gente’)  e ainda por cima tinha um haster de metal central que em algumas roupinhas chegavam a pesar até um quilo, mas com o passar do tempo os corpetes causaram algumas polêmicas entre alguns médicos pois eles comprimiam os órgãos internos, causando o entrelaçamento de costelas e chegava até matar (a beleza é importante mas dentro dos limites, nada de colocar a saúde em jogo, O.K?).

No século XVII que as mulheres se livraram do sufoco e poderam respirar mais livres sem tanto aperto, ouve uma super reviravolta, os decotes aumentaram, os corseletes passaram a ser confeccionados para comprimir a base do busto  deixando os seios em evidencia, também foi nesta época que os corseletes ganharam mais elegância e feminilidade, pois passaram a ter bordados, laços, e tecidos mais sofisticados. Em XIX as anáguas desapareceram e em 1832, Jean Werly abriu a primeira fábrica de espartilhos sem costuras, e também foi nesta época que surgiram as calças que eram até os joelhos e eram cheias de babadinhos.

 E foram os balés russos de Serge de Diaghliey que inspiraram os costureiros Paul-Poiret e Madaleine Vionnet a criarem roupas que deixavam a silhueta da mulher o mais natural possível. E foi em 1904 que a palavra soutien-gorge (o famoso sutiã) entrou para o dicionário francês e em 1913, Mary Phelps inventou o sutiã, e no ano seguinte estouro a Primeira Guerra Mundial e as mulheres precisaram entrar no mercado de trabalho, e houve a necessidade de uma lingerie que as dessem mais movimentação, por esse motivo o espartilho foi trocado pelas cintas.

 E dos anos 1920 até 1939 as roupas intimas sofreram muitas melhoras se tornaram flexíveis, cômodas, coloridas e confortáveis, mas com o inicio da Segunda Guerra Mundial a evolução das lingeries deu uma parada, e com o final da guerra o new look, que foi lançado em 47 pelo costureiro Dior, trazia a volta da elegância e dos volumes que foram perdidos durante a guerra e para dar mais elegância a proposta de Dior,  a lingerie precisava deixar o busto bem delineado e a cintura super marcada, ai surgiram os sutiãs que empinavam os seios e as cintas que escondiam a barriga e modelam a cinturinha.  

 No final dos anos 50 e no inicio dos anos 60 os fabricantes se interessaram pelo publico jovem e a lycra foi lançada e permitia os movimentos, a partir daí as lingeries passaram a ter varias modelagens e no final dos anos 70 e no inicio dos 80 a essência romântica tomou conta da moda, as cinta-liga, as meias 7/8, rendas, laços, tecidos delicados nas calcinhas e nos sutiãs e corseletes mais modernos tomaram conta das prateleiras das lojas e estão ai até hoje.

 Lingeries 2

 E daí por diante o mundo das lingeries só cresceu e cada vez mais vem se tornando maior, suas modelagens estão sempre mudando procurando cada vez mais agradar a todos os gostos e tipos físicos, são calcinhas coloridas com bichinhos, calcinhas rendadas, calcinhas de fio dental, sutiãs estruturados, sem enchimento, tops, cintas, corseletes e até cuecas femininas já temos e tudo isso para agradar a você a nós, mulheres que somos loucas por essas super amigas é essas sim são as MELHORES amigas de uma mulher. Rsrs’

Bom meninas é isto, espero que tenham gostado, pois eu amei entender como tudo começou e é sempre bom armazenar no nosso baú de conhecimento histórias que despertam nossa curiosidade, pois sempre teremos assuntos interessantes para contar a nossas amiguinhas !

Beijos e até mais*  

Anúncios

6 comentários sobre “As lingeries… O que seria de nós se elas não fossem inventadas?

  1. Bia Riva disse:

    Amei saber um pouco mais sobre a história da lingerie. Ótimo post!
    Também temos que lembrar que de nada adianta ter um look lindo se a calcinha estiver marcando ou o sutiã não valorizar os seios.
    Isso pode acabar com qualquer look!
    Precisamos ficar sempre espertas com isso.
    beijos
    Bia

    Curtir

Comente algo

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s